REDUÇÃO DA JORNADA DE TRABALHO E SALÁRIO EM 2021

#bem #reduçãojornada #suspensãodecontrato

Entenderemos cada uma delas mais profundamente agora! https://youtu.be/vmiIxdSamPs

 

MP 1.045 – BEm 2021

 

A MP 1.045 permite que os empregados e empregados realizem um acordo para a redução da jornada e salário proporcionalmente, bem como a suspensão total e temporária do contrato de trabalho.

 

O programa permite acordos de redução de salário em 25%, 50% e 70% e terão validade por até 120 dias, para que os trabalhadores não fiquem no prejuízo, a parte ao qual a empresa deixa de pagar, será paga pelo governo, através do Benefício Emergencial (BEm).

 

O teto do auxílio, portanto, seria pago em caso de suspensão de contrato e seria no valor do seguro-desemprego, que atualmente pode chegar a R$1.911,84.

 

Conforme estabelecido em ato do Ministério da Economia, o trabalhador que receber indevidamente parcela do BEm poderá ter sua parcela compensada automaticamente:

 

#bem #reduçãojornada #suspensãodecontrato

 

Caso tenha eventuais parcelas devidas referentes ao mesmo acordo ou a acordos diversos;

Com futuras parcelas de abono salarial de que trata a Lei nº 7.998, de 1990 (É isso mesmo que você leu! Poderá ser descontado do abono do PIS) ou;

Do seguro-desemprego a que tiver direito, na forma prevista no art. 25-A da Lei nº 7.998, de 1990

Além disso, caso o trabalhador não movimente as parcelas pagas de BEm no prazo de 180 dias, contado da data do depósito, os valores retornarão para a União.

 

Entenda como funciona a redução da jornada e salário bem como a suspensão do contrato de trabalho:

 

Redução de Jornada e Salário em 25%

 

Caso o trabalhador e a empresa acordarem na redução de jornada e salário em 25% — A empresa paga 75% do salário e o governo os outros 25% calculado sobre o valor do seguro-desemprego.

 

Redução de Jornada e Salário em 50%

 

Se o trabalhador e a empresa acordarem na redução da jornada e salário em 50% — A empresa paga 50% do salário e o governo os outros 50% calculado sobre o valor do seguro-desemprego.

 

Redução de Jornada e Salário em 70%

 

Se o trabalhador e a empresa acordarem na redução de jornada e salário em 70% — A empresa paga 30% do salário e o governo os outros 70% calculado sobre o valor do seguro-desemprego.

 

Suspensão temporária do contrato de trabalho

 

Com relação à suspensão do contrato de trabalho, o pagamento da compensação do governo será de 100% do seguro-desemprego ao qual o trabalhador teria direito se fosse demitido.

 

A exceção, no entanto, diz respeito as empresas que tiverem receita bruta superior a R$ 4,8 milhões. Para estes casos, a empresa somente poderá suspender o contrato de trabalho mediante o pagamento de ajuda compensatória mensal no valor de 30% do salário do empregado.

 

Como funcionam os acordos

 

Caso o trabalhador tenha uma remuneração de até três salários mínimos (R$ 3.300), o acordo será realizado através de acordo individual.

 

Já para os trabalhadores com recebimento mensal de três salários a dois tetos do INSS (R$ 12.867,14), a redução da jornada e salário devem ocorrer através de um acordo coletivo, pois, para essa faixa salarial a compensação paga pelo governo não compensaria a redução salarial.

 

#bem #reduçãojornada #suspensãodecontrato

 

Por fim, os trabalhadores com renda mensal superior a R$ 12.867,14 e que possuam nível superior, a lei trabalhista atual permite o acordo individual para a redução de jornada e salário. Por fim, no caso da redução de 25% será permitido que seja realizado acordo individual independente da faixa salarial.

 

Estabilidade

 

A Medida Provisória também determina uma “garantia provisória” do emprego pelos meses em que a jornada e os salários forem reduzidos ou o contrato suspenso e por igual período quando as atividades e pagamentos forem normalizados.

 

No entanto, o empregador ainda pode ter o direito de demitir durante o período, porém, caso a dispensa ocorra sem justa causa, a empresa estará obrigada ao pagamento de verbas rescisórias e de indenização. Essa regra só não vale nos casos de dispensa por justa causa, ou caso o próprio empregado solicite a demissão.

 

Confira o valor da indenização:

 

50% do salário a que o empregado teria direito no período de garantia provisória no emprego, na hipótese de redução de jornada de trabalho e de salário igual ou superior a 25% e inferior a 50%;

75% do salário a que o empregado teria direito no período de garantia provisória no emprego, na hipótese de redução de jornada de trabalho e de salário igual ou superior a 50% e inferior a 70%; ou

100% do salário a que o empregado teria direito no período de garantia provisória no emprego, nas hipóteses de redução de jornada de trabalho e de salário em percentual superior a 70% ou de suspensão temporária do contrato de trabalho.

 

Fonte: Jornal Contábil

 

Inscreva-se no canal https://goo.gl/i6RcTy  Para receber dicas sobre empreendedorismo e gestão que certamente  contribuirão com  seu negócio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para a barra de ferramentas