UXÍLIO 600 | AGORA VAI | MOBILIZAÇÃO PARA APROVAR 600 PELO BRASIL

#600PeloPovoBrasileiro #600PeloBrasil #auxilio600

 

Mobilização para a manutenção do auxílio emergencial em R$ 600 até dezembro. Compartilhe este vídeo pra todo mundo: https://youtu.be/eDDncR8gYTg

Inscreva-se! no canal https://goo.gl/i6RcTy

 

Dependente do auxílio emergencial de R$ 600, Bolsonaro conseguirá largá-lo?

 

Jair Bolsonaro ganhou um presentão do Congresso Nacional quando deputados e senadores rejeitaram sua proposta original de um auxílio emergencial de R$ 200. Com o pagamento de R$ 600 mensais, a aprovação que ele perdeu junto à classe média por conta de seu negacionismo homicida diante da covid foi mais do que compensada com a dos trabalhadores informais beneficiados.

 

Mirando a conquista da base lulista e a reeleição em 2022, passou por cima de seu Posto Ipiranga. Começou a dar sinais de que via com bons olhos a revisão da regra do teto de gastos públicos. O que pode garantir recursos para obras públicas e anabolizar o Bolsa Família (média de R$ 190/mês e 14,2 milhões de famílias atendidas) até virar o Renda Brasil (com R$ 300 e o dobro desse contingente).

 

Cinco parcelas de R$ 600,00 depois, seu governo enviou uma Medida Provisória ao Congresso para prorrogar o auxílio até o final do ano, rebaixando-o para R$ 300. Como vale imediatamente após editada e tem vigência de 120 dias, basta que ela não seja colocada em votação para cumprir seu papel. Diz que não tem como continuar pagando os R$ 600 e conta com Centrão para bloquear.

 

Gustavo Uribe e Daniel Carvalho, da Folha de S.Paulo, nesta sexta (11), relatam que Bolsonaro iniciou uma ofensiva para evitar que o auxílio seja votado e permaneça até o final do ano em R$ 300.

 

Parlamentares de oposição e centrais sindicais se manifestaram repudiando a MP no dia em que ela foi editada. Tentam convencer Rodrigo Maia a colocá-la em votação.

 

#600PeloPovoBrasileiro #600PeloBrasil #auxilio600

 

E, uma vez em votação, fica difícil para deputados do Centrão votarem contra. Afinal, estamos em ano eleitoral e muitos deles são candidatos às Prefeituras ou apoiam candidatos. Não querem ser questionados, em meio à campanha, sobre a razão de terem apoiado o rebaixamento da ajuda que vem garantindo um mínimo de dignidade a milhões de brasileiros e impedido uma derrocada econômica ainda maior em meio à crise sanitária.

 

Jair Messias sabe, contudo, que seu futuro político depende mais de um programa de transferência de renda parrudo do que do respeito às balizas fiscais e da preocupação com o endividamento. Por mais que ele diga que não há dinheiro para tanto, que o valor é pouco para quem recebe, mas muito para quem paga, sabe que ficará novamente com os dividendos políticos se os R$ 600 prevalecerem.

 

Não surpreenderia, portanto, se ele estivesse mais uma vez encenando dois papéis ao mesmo tempo.

 

#600PeloPovoBrasileiro #600PeloBrasil #auxilio600

 

Um para o mercado e os liberais que o apoiam, apresentando-se como responsável fiscal. Esse personagem chega ao ponto de culpar o pagamento do auxílio pelo aumento no preço do arroz, como afirmou, em uma live, nesta quinta (10).

 

E, outro, na surdina, pilhando secretamente parlamentares da base aliada para saírem em defesa da prorrogação sem redução. Esse personagem gosta de ser fotografado na saída de aeroportos, nos braços de apoiadores, ao viajar o Brasil para inaugurar obras tocadas por gestões passadas. E de ser considerado um novo “pai dos pobres”, permitindo ao bolsonarismo sonhar com um autoritarismo populista.

 

O presidente pode agir de forma tosca, mas bobo ele não é.

 

Daí, o presidente se lambuzou em auxílio emergencial. Fez a festa. Perdemos a conta do número de vezes que seu governo o vendeu como o único pai da criança, deixando deputados e senadores em segundo plano. Pesquisas de opinião mostram que a tática funcionou – sua popularidade subiu e a do Congresso caiu.

 

Fonte: UOL

 

Inscreva-se! no canal https://goo.gl/i6RcTy

Para receber dicas sobre empreendedorismo e gestão que certamente  contribuirão com  seu negócio.

Para receber dicas sobre empreendedorismo e gestão que certamente  contribuirão com  seu negócio

Pular para a barra de ferramentas